Mãe que matou e queimou filho em Cravinhos (SP) vai a julgamento

Uma gerente de compras, de Cravinhos (SP) acusada de matar e queimar o corpo do filho foi levada a júri popular nesta terça-feira (26), no Fórum de Ribeirão Preto. O tribunal do júri teria início a partir das 9h30 e a previsão é que siga por dois a três dias.  
O padrasto da vítima, Alex e mais dois outros suspeitos são apontados como cúmplices, e também serão julgados. O corpo do adolescente só foi encontrado carbonizado no dia 7 de janeiro de 2017, dez dias após ter sido morto.

O jovem era homossexual e, dias antes do assassinato, postou em uma rede social que havia sido agredido pela mãe por ser gay. De acordo com a Polícia Civil, ele foi atraído para uma emboscada, quando teria sido assassinado dentro de uma casa e levado a um canavial, onde foi queimado.  
A mãe está presa preventivamente em Tremembé (SP) e responde por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Segundo o Ministério Público, os outros cúmplices teriam atraído o garoto para dentro de casa no dia do crime e o espancado antes da morte. Eles também respondem por homicídio triplamente qualificado e estão presos no CDP de Taiúva (SP).

O advogado de defesa da mãe do jovem, que também defende o padrasto, afirmou que a mulher nega as acusações e que o padrasto não participou do assassinato.  

Já o advogado dos outros dois “cúmplices” defende que os mesmos são inocentes.