‘Setembro Verde’ e a luta pela inclusão da pessoa com deficiência

Intuito da campanha é sensibilizar a população e ampliar o debate sobre a inclusão social da pessoa com deficiência.

O projeto Setembro Verde é um movimento social que tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da inclusão das pessoas com deficiência na comunidade.

Instituída pela Federação das APAES do Estado de São Paulo (FEAPAES-SP) e oficializada por meio da Lei Federal nº 11.133, de 14 de julho de 2005, a ação é realizada para reforçar a busca por acessibilidade e inclusão social de aproximadamente 45,6 milhões de pessoas com deficiência, no País.

Comemorado no dia 21, Dia Nacional da Pessoa com Deficiência e também Dia da Árvore, a data foi escolhida, propositalmente, numa representação do nascimento de reivindicações de cidadania e participação plena em igualdade e condições.

A cor verde, símbolo da acessibilidade, retrata esperança e renascimento, quesitos fundamentais para que haja superação da barreira social.

Atividades cotidianas, participação na comunidade e ingresso no mercado de trabalho são algumas das inúmeras dificuldades encontradas pelas pessoas com deficiência.

Com base nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por exemplo, cerca de 20% dos brasileiros possuem algum tipo de deficiência e, apesar da importância e da obrigatoriedade legal, a participação destes profissionais no mercado de trabalho formal ainda é pequena.

Incluir as pessoas com deficiência na sociedade não é apenas um ato humanitário, mas também um dever a ser cumprido.

Neste sentido, no dia 18 de setembro de 2017, a lei municipal nº 4.447 instituiu a campanha Setembro Verde, em Taquaritinga, com o objetivo de dar visibilidade à inclusão social da pessoa com deficiência.

A campanha é realizada numa parceria entre a APAE da Cidade, os pais, profissionais da área e todas as unidades escolares, especialmente as que já incluíram alunos com deficiência.

Com uma série de ações durante todo o mês, a programação inclui sugestões de atividades para inclusão e combate ao preconceito.

Confecção e distribuição de “laço verde” para professores, funcionários e para os pais usarem durante setembro; caminhada ao redor da escola ou bairro, onde todos seguram balões verdes; palestra com profissionais atuantes na área (psicólogos, professores, fisioterapeutas, intérpretes, etc); palestra com alguma pessoa com deficiência a respeito de seu cotidiano (escola, trabalho, clube, etc) e convidar professores e alunos a conhecerem a APAE e o CEMI (Centro Educacional Municipal de Inclusão) de Taquaritinga, são algumas das iniciativas planejadas, alusivas ao projeto.

A preocupação é contemplar os direitos fundamentais do ser humano em todos os aspectos.