Cinco atitudes mais comuns no trânsito que geram multas

Compartilhe esta notícia:

Zul+ orienta motoristas sobre a importância de respeitar a legislação de trânsito para uma direção segura e sem surpresas para o bolso

Com 74 milhões de motoristas habilitados, conforme dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o sistema brasileiro de trânsito prevê quatro tipos de infrações: leves, médias, graves e gravíssimas, dependendo dos riscos que oferecem para o infrator e outras pessoas que compartilham a via. Saber evitá-las é fundamental não apenas para a segurança, mas também pode representar uma boa economia no orçamento, já que as multas gravíssimas, por exemplo, custam R$ 293,47. Para evitar surpresas, o Zul+, aplicativo que permite a consulta e pagamento de multas em sua interface, indica cinco atitudes que estão entre algumas das penalidades mais comuns no trânsito e que podem ser evitadas com medidas simples. Confira:

Transitar em locais indevidos

Um erro comum entre motoristas infratores é circular em vias públicas com restrições de acesso, seja em razão do horário ou do tipo de veículo. Essa infração, que rende multa de R$ 130,16 e quatro pontos na carteira, gerou em 2021 mais de 554 mil notificações, 93% delas no estado de São Paulo. É nesse artigo que se enquadram os motoristas flagrados circulando nos horários de rodízio de veículos na capital paulista, por exemplo. Para evitar esse tipo de infração, os motoristas, especialmente aqueles não habituados a trafegar em São Paulo, devem sempre consultar a programação de rodízio. Uma forma de conferir os dias, horários e finais de placas de rodízio é, por exemplo, por aplicativos como o Zul+. Desde que a funcionalidade foi criada pelo app, mais de 65 mil consultas a multas por tráfego em local indevido foram registradas.

“A atenção no trânsito começa dentro de casa. É sempre bom estar atento aos locais pelos quais você irá circular. Dependendo do dia, muitas vias são fechadas em determinados horários para facilitar a circulação do transporte público, por exemplo. Estar atento à sinalização é fundamental”, orienta André Brunetta, CEO do Zul+,

Velocidade máxima até 20% além da permitida

Muitas vezes, por desatenção ou pressa, motoristas são flagrados por radares a velocidades acima do permitido. Quem passa do limite em até 20% é enquadrado no artigo 218 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Apenas em outubro de 2021, foram mais de 2 milhões de emissões desse tipo de penalidade no País. Desse total, São Paulo foi o estado campeão, com mais de 1,1 milhão de notificações, segundo dados da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran). Apenas no Zul+ foram 236 mil consultas desse tipo de multa, que custa a R$ 130,16 e rende quatro pontos na CNH.

Velocidade máxima entre 20% e 50% além da permitida

Já transitar a velocidades entre 20% e 50% além do permitido gera infração grave. São cinco pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 195,23. No Zul+ já foram constatadas mais de 22 mil consultas a esse tipo de infração.

Avançar o sinal vermelho ou parada obrigatória

Avançar o sinal vermelho ou em trechos de parada obrigatória é outra atitude proibida no trânsito, mas muito comum entre motoristas. A infração é considerada gravíssima, com sete pontos na CNH e R$ 293,47 de multa. Vale lembrar que, em algumas cidades do país, alguns radares são desligados à noite, livres, portanto, da penalidade. De qualquer forma, ao avançar o sinal vermelho no período noturno deve-se redobrar a atenção e cruzar a via apenas em segurança.

Deixar de usar cinto de segurança

O uso do cinto de segurança é obrigatório enquanto o automóvel estiver ligado. Deixar de usar o equipamento é uma infração grave, que rende multa de R$ 195,23 e 5 pontos na CNH. “Dirigir com consciência e segurança é um sinal de respeito não apenas consigo mesmo, mas também com o outro, já que muitos acidentes e até mortes acontecem por desrespeito à legislação. De quebra, o motorista evita gastos que poderiam ser facilmente evitados”, completa.

Sobre o Zul+

O Zul+ é uma AutoTech focada em ser a melhor companhia para quem dirige. Lançado em 2017 com o objetivo de atender a demanda de zona azul na cidade de São Paulo, o aplicativo está presente também nas cidades de Belo Horizonte, Salvador, Fortaleza, Cajazeiras, Curitiba e é líder em utilização e experiência para os motoristas. Além da função de estacionamento rotativo, a plataforma oferece serviços de alerta de rodízio com geolocalização, informações de valor de mercado para compra e venda de veículos, alertas de manutenção e concessionárias próximas, seção de tributos para pagamento e parcelamento de multas, IPVA e licenciamento, tags de pedágio (que permitem viajar e estacionar sem pegar filas), CRLV Digital, acionamento de seguro e pagamento de estacionamento de shopping.

Foto: Reprodução Doutor Multas

Compartilhe esta notícia: