Capitão da PM de Taquaritinga (SP) explica sobre aplicativo SOS Mulher

Na tarde de sexta-feira (19), o Capitão da Polícia Militar, Emerson Coelho, conversou com a equipe do Jornal O Defensor sobre um aplicativo conhecido como “SOS Mulher”, que foi desenvolvido pela Polícia Militar para ajudar mulheres com medidas protetivas concedidas pelo Tribunal da Justiça de São Paulo. Por meio deste aplicativo as vítimas podem pedir socorro apenas apertando um botão.

“Em Taquaritinga existe o cadastro das pessoas que tem essa medida protetiva, então, só as pessoas que de fato tem essa medida poderão utilizar, não adianta as mulheres baixarem esse aplicativo e no momento que estiverem tendo problema acionar, porque ela não vai conseguir nem fazer o cadastro, só pode fazer o cadastro quem de fato tem a medida protetiva, é uma forma de agilizar a viatura para aquela pessoa que já está considerada como vulnerável”, explicou Capitão Coelho.

Capitão Emerson Coelho – Foto: Kevin Alan/O Defensor

No momento em que vivemos devido à pandemia, o Capitão disse que “existe um aumento, na verdade aumentou a todo tipo de ocorrência dentro da residência, não só de violência doméstica, mas todas as solicitações, como o desentendimento entre vizinhos, entre pais e filhos, e outras situações, todas geradas no local de coabitação”.

Coelho esclareceu também que o aplicativo é muito importante, pois “ajuda a mulher no momento que ela esteja sofrendo um risco de vida, já em decorrência dessas medidas preventivas, por exemplo, o marido não pode chegar perto da residência e ela nota que o marido está em frente a sua residência, então, ela aperta o botão e a viatura mais próxima é acionada. Para que este ajuda funcione é fundamental baixar o aplicativo, essa é a primeira medida protetiva”.

Para usar o aplicativo, basta baixar a ferramenta por meio das lojas virtuais Google Play e App Store. Depois, é necessário a realização de um cadastro com os dados pessoais com as informações que possam ser checadas junto ao TJSP, informações essas buscadas no banco de dados das medidas protetivas. Após a confirmação positiva da ferramenta, o serviço já poderá ser utilizado.

“O objetivo principal é acelerar os movimentos da viatura e chegar ao local o mais rápido possível, evitando uma morte, salvando a vida da pessoa”, acrescentou Emerson.

O Capitão da Polícia Militar de Taquaritinga encerrou dizendo que “ao invés de ligar para o 190 e passar todas as informações, comunicar o que está acontecendo, a pessoa aperta aquele botão, não somente em Taquaritinga, porque se você estiver em outra cidade e apertar o botão, pela localização do celular já vai jogar ocorrência para a viatura mais próxima, já sai a quebra da medida protetiva, o nome da pessoa, a localização que ela está”.