Fica pra próxima: Secretário de Cultura comenta sobre o cancelamento do Carnaval e projeta como será o ano de sua pasta

Em entrevista a equipe do Jornal O Defensor, na segunda-feira (15), Thiago Duarte, Secretário de Cultura do município disse que o cancelamento do carnaval foi mais do que necessário na cidade, devido à pandemia.

“É a primeira vez que a gente cancela o carnaval, é triste mas necessário, nesse momento não tem outra resposta que não seja realmente o cancelamento do carnaval no município de Taquaritinga. As ruas que deveriam estar cheia de foliões, com pessoas alegres, com várias atividades acontecendo, nesse momento percebemos o quanto é sério”, declarou Thiago.

“Nessa época de pandemia foi criada uma força-tarefa devido o decreto publicado Prefeito Municipal, suspendendo as atividades carnavalescas e dentro do Decreto também fala sobre o cancelamento somente quaisquer outras manifestações paralelas, sejam repúblicas, edículas, chácaras, e infelizmente alguns grupos de pessoas não entendem isso de uma forma tranquila”, complementou Duarte.

Sobre a questão da Prefeitura multar as pessoas que fizessem festa, o Secretário afirmou que “pelo fato das pessoas não entenderem a importância do isolamento elas ainda acabam fazendo algum tipo de festa, algum tipo de aglomeração e entendendo que isso já vem acontecendo há um tempo, as autoridades sanitárias, a Prefeitura, começou a agir de uma forma diferente junto com o legislativo, aplicando uma multa no momento, se houver qualquer tipo de festas em edículas, repúblicas, etc. Infelizmente é o que algumas pessoas ouvem, quando você fala de dinheiro, quando você fala em mexer no bolso, para tentar coibir”.

Thiago Duarte – Secretário Municipal de Cultura – Foto: Kevin Alan -/ O Defensor

Segundo Thiago, a medida tomada foi uma estratégia para tentar fazer com que esse vírus não se espalhe mais nessa fase atual que estamos.

Sobre os projetos que a pasta tem em vista, ele disse que “a Secretaria da Cultura está com vários projetos engatilhados, mas depende muito dessa mudança de fase, porque realmente não é seguro fazer quaisquer manifestações, eventos ou qualquer tipo de planejamento de atividade, pois a cultura basicamente tem a ver com aglomeração e nesse momento não está sendo seguro”.

Já sobre o retorno dos eventos no setor cultural ele afirmou que “as coisas devem acontecer provavelmente quando a cidade estiver em uma fase melhor, com um certo afrouxamento das medidas, talvez algumas coisas online primeiro e depois vai passando gradativamente para o presencial, mas nesse momento estamos tentando segurar as atividades, inclusive as questões dos projetos de produção que foram inscritos no ano passado, pela lei para Aldir Blank, nós ainda não executamos e também não permitimos tal execução”.

A orientação da Secretaria da Cultura é que os artistas não se juntem não nesse momento, esperem as coisas se afrouxar e quando for mais seguro, aí sim vai ter bastante tempo para fazer, divulgar as atividades, fazer planos para o futuro e desenvolver a cultura do município.