Série documental ‘A tirania da minúscula coroa: Covid-19’ fala do Rock em tempos de pandemia

Com a impossibilidade de se apresentarem ao vivo, músicos se reinventam e buscam alternativas de renda

 Por: Tercio David Braga

Shows de rock cancelados por todo país, ídolos se reinventando por meio de aulas em plataformas digitais e composições que, no futuro, retrarão um novo mundo. A pandemia atingiu em cheio o rock e, com turnês suspensas por tempo indeterminado, a rotina dos músicos mudou completamente. Essa é a fotografia que compõe o episódio X da série documental ‘A tirania da minúscula coroa: Covid-19’, que traz depoimentos de nomes importantes do cenário brasileiro do rock n’roll. O novo episódio teve como orientador o jornalista Charley Gima, editor-chefe do Blog FuteRock, que trabalhou em conjunto na construção da narrativa.

De acordo com Charles Guima, o mercado de entretenimento e o da música foram muito abalados pela pandemia do Covid-19. O setor de shows foi o primeiro a parar e, consequentemente, deve ser um dos últimos a voltar. Os músicos e bandas de Rock sentiram este efeito devastador em suas vidas e tiveram que se adaptar aos novos tempos, seja realizando lives, tocando covers em collabs ou criando novas músicas.

“A mídia especializada que cobre os lançamentos e os shows de rock também tiveram que ser muito criativos, pois os assuntos tornaram-se escassos. Por incrível que pareça, gravadoras especializadas encararam bem este momento, pois a venda online continuou e muitos fãs aproveitaram para garimpar os discos que faltavam em suas coleções”, conta Guima. “As produtoras, casas de shows e seus funcionários, terceirizados ou não, também sofrem com a escassez de shows, criando uma bola de neve econômico nunca antes visto no setor!
O ano de 2020 pode ser considerado um ‘ano morto’ para os artistas e produtoras, mas vamos pensar positivo e aprender com está situação, entender que fãs e artistas estão juntos na luta pela sobrevivência e ávidos pela vacina contra o coronavírus”, completa.

O documentário ouviu Andreas Kisser, guitarrista do Sepultura, Felipe Andreoli, baixista do Angra, Karma e Almah, Alírio Netto, vocalista do Shaman e Queen Extravaganz, Luis Mariutti, baixista do Shaman, Marcello Pompeu, vocalista do Korzus, Eduardo Parras, vocalista do Armored Dawn e dono da Prevent Senior, Aquiles Priester, baterista conhecido pelo seu trabalho no Angra, Freakeys, Hangar, Noturnall e W.A.S.P, Guilherme Rujão – guitarrista da banda inglesa Los Pepes (London-UK), Sílvio Golfetti, ex-guitarrista do Korzus e atual CEO da gravadora Voice Music e da loja virtual Black Rock, Guilherme ‘Ziggy’ Mendonça – guitarrista de Made in Brazil, Corazones Muertos, Screw’d, Zé Luís ‘Heavy’ Carratoengenheiro de som e gravações, produtor musical do Korzus, Caio Bertti, empresário e integrante do movimento passeata com cases, daqueles que vivem dos shows.

Gustavo Girotto, diretor-geral da série, destaca que a passeata dos profissionais da área técnica de eventos, conhecidos nos bastidores como “graxa”, levando os cases que usam para trabalhar em protesto em frente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), acendeu ainda mais a discussão do episódio. “Como fã e frequentador de shows de rock, esse era um capítulo que estava sendo trabalhado há algum tempo. As aglomerações, parte indissociável dos espetáculos, agora passaram a ser sinônimo de risco à vida. Buscamos acompanhar os bastidores dos profissionais que vivem desta importante indústria nacional, que emprega e movimenta milhares de pessoas”, destacou Girotto, mencionado que o objetivo foi “tentar captar esse período também de introspecção dos músicos”.

Para Juliano Sartori, diretor de produção, e Ricardo Sartori, diretor de arte, o Brasil prometia muito aos fãs brasileiros do bom, do velho e do novo rock n’roll esse ano. “A agenda estava movimentada e, do dia para noite, o cenário mudou. Para não desamparar os admiradores, artistas decidiram levar sua arte para o mundo virtual, se aventurando em lives ou streaming de performances. Tentamos captar esse momento – até como proposta editorial do documentário – e esse que é um dos capítulos mais ricos em termos de imagem e edição”, destacam Sartoris.

Por fim, com edição de Via d’Ideia, trabalho jornalístico de Gustavo Girotto, com colaboração jornalística de Tercio David Braga e orientação de Adalberto Piotto – o teaser do episódio X, que conta com a mentoria de Charlei Guima – “A tirania da minúscula coroa: Covid-19” já pode ser visto no

Ficha Técnica:

“A tirania da minúscula coroa: Covid-19”.

Título – série documental

Gustavo Girotto

Direção geral / Entrevistas

Ricardo Sartori

Diretor de arte

Juliano Sartori

Diretor de produção

Adalberto Piotto

Orientação/mentoria

Tercio David Braga

Estruturação de temas/Divulgação

Nana Santiago

Redes Sociais/Estratégia

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/atiraniadaminusculacoroa

Instagram: @atiraniadaminusculacoroa

Twitter: @seriecovid19

Informações: Gustavo Girotto (11) 9.9602.1317