Giro Político – 14 de agosto de 2020

Bem movimentada – Embora a sessão ordinária da Câmara Municipal de segunda-feira (10) tenha sido realizada, mais uma vez, de forma virtual, muitos foram os projetos de Lei lidos e aprovados, assim como apresentadas várias indicações e requerimentos, além da participação maciça dos vereadores no tema-livre.

Gilberto quer saber – Em ofício enviado ao secretário municipal de Saúde, o vereador disse na sessão ordinária que QUER SABER AS SEGUINTES INFORMAÇÕES: 1) Quantos pacientes estão aguardando a realização dos exames de ressonância magnética, ultrassom, tomografia computadorizada, biópsias e onde são realizados os referidos exames e quantos deles são realizados por semana. Quer porque quer saber. Nada mais que justo. Certo? 

Boa, vereador Marcos Bonilla – Ele quer saber sobre essa contratação da empresa prestadora de serviços na assessoria de imprensa para a Prefeitura ou para a divulgação dos feitos administrativos, relatando quem são os assessores da empresa, qual a forma de licitação e os valores já pagos e a serem pagos. Bonilla, oportuno como sempre, pede também que a administração informe os valores gastos com divulgação, publicidade e assessoria de imprensa, nos anos de 2017, 2018, 2019 e 2020.

Esse é o Tonhão da Borracharia – Vereador, sempre buscando melhorias para a cidade, quer saber da atual administração municipal sobre a possibilidade de se construir uma rotatória na Avenida Pedro Carletto, na altura do Jardim dos Ipês, cujo dispositivo viário serviria de entrada e saída para os moradores daqueles bairros existentes nas imediações da via pública. Segundo Tonhão, o pedido foi feito por empresários, que atualmente precisam utilizar a rotatória localizada na altura do Jardim Santa Cruz. Pedido de primeira ordem. 

Já passou da hora hein Comutran? – Em assinaturas conjuntas, os vereadores de Taquaritinga pedem ao diretor da Comutran, que providencie, com urgência, sinalização de trânsito em frente ao AME – Ambulatório Médico de Especialidades – na Avenida João De Jorge. Aliás, esse não é o primeiro pedido. Outros já aconteceram.