Curta metragem: “As meninas que se cortam” ultrapassa 70 mil visualizações

Isso apenas nos primeiros cinco meses do ano.

O curta metragem “As meninas que se cortam”, idealizado pelo professor Marcelo Rosa, alcançou, nos últimos cinco meses do ano, mais de 70 mil visualizações, em exibição nas redes sociais (youtube).

De acordo com Marcelo, a peça relata o drama de Luciana, uma jovem que sofre com a prática da automutilação, cuja intenção do roteiro, escrito por ele, não era discutir a prática, mas sim como a pessoa sofre com esse relacionamento no meio social e familiar, humanizando a pessoa.

Segundo Rosa, “muitos jovens que sofrem com esse mal, são marginalizados pelas pessoas e familiares, que desconhecem a gravidade da situação e que o curta dá ênfase na importância de buscar informações antes de julgar a importância de ouvir”, disse. E concluiu que “recebeu devolutiva de professores, pais e jovens e alguns educadores falaram que o curta é ótimo para discutir na sala de aula”.

Marcelo Rosa afirma que já tinha feito uma parceria com representantes da Cinemec para apresentar o filme aos alunos das escolas públicas, mas semanas antes de começar com as escolas agendadas, chegou a pandemia do Coronavírus, obrigando a adiar a ação cinematográfica.

Um segundo roteiro do filme está sendo finalizado, com trabalhos voltados para relacionamentos destrutivos (tóxicos) na adolescência, programado para ser gravado em 2021, com o título provisório “Anjo Mau”.

Participaram do curta metragem alunos do Projeto Oficina de Iniciação ao Fazer Teatral e atores convidados, como Casturina Lima e Grazi Carolina, além de ter contado com a captação de áudio e vídeo de Rogério Correa.