Na região: Iacanga adquire produtos de pequenos produtores com recursos do PNAE para atender alunos da rede municipal

Para viabilizar a primeira entrega de kits de alimentação pela Prefeitura de Iacanga, o apoio Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio da Casa da Agricultura de Iacanga e da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) Regional Bauru, cuja área de atuação abrange o município, foi fundamental. “Temos uma parceria muito estreita com a Prefeitura, que é sensível às questões da agropecuária, um dos pilares da economia local”, comentou Marco Aurélio Beraldo, diretor da CDRS Regional Bauru.

Iacanga, município com uma população de pouco mais de 12 mil habitantes, adquire 45% de produtos da agricultura familiar para a merenda escolar, quantidade maior do que o exigido pela legislação, que é de no mínimo 30%. “A primeira entrega de kits foi realizada nos dias 23 e 24 de abril, beneficiando 75 famílias. Neste processo conseguimos apoiar os produtores que entregam seus produtos regularmente na merenda escolar, os quais não estavam tendo este canal de comercialização por conta do fechamento temporário das escolas, e atender às famílias mais carentes de alunos matriculados. Os recursos utilizados para essa aquisição dos alimentos são oriundos do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)”, explicou o coordenador municipal de Agricultura de Iacanga, Nathan Garbo, falando sobre a importância da ação.

“Além da atuação técnica junto aos produtores, apoiamos as Chamadas Públicas do PNAE, auxiliando na identificação dos produtores com potencial para serem fornecedores e orientamos quanto à documentação necessária. Fizemos a articulação e o repasse de todas as informações publicadas nas últimas semanas, que permitiram a utilização de recursos do PNAE para aquisições de alimentos da agricultura familiar e atender aos casos emergenciais de segurança alimentar de alunos matriculados na rede pública municipal”, explicou Marco Aurélio Beraldo.

Marco Aurélio salientou, ainda, que os extensionistas reforçaram a importância de se comprar dos produtores locais para o fortalecimento do setor, neste momento de incertezas no mercado por conta da pandemia, e ao mesmo tempo garantir uma alimentação saudável às famílias de alunos. “Solicitamos à Prefeitura que, além do fornecimento de itens secos, fossem elaboradas cestas de produtos com legumes, frutas e verduras adquiridas dos pequenos produtores, para melhorar a qualidade nutricional dessas famílias. A Prefeitura prontamente aceitou a ideia. Como a logística de entrega desses produtos é mais complexa, por conta de serem perecíveis, inicialmente a diversidade dos produtos entregues tem sido menor, porém constaram das primeiras cestas berinjela, alface, abobrinha, banana e limão”, contou Marco Aurélio.

Valéria de Pietro, engenheira agrônoma responsável pela Casa da Agricultura de Iacanga, ressaltou que grande parte da produção local de olerícolas e frutas é conduzida em pequenas propriedades. “Seja na diminuição da comercialização ou na queda de preços, todos têm sentido um impacto. Por isso, manter a compra de produtos desses agricultores neste período é estratégico para fomentar o escoamento da produção que, em alguns casos, como o de plantas folhosas, tem pequeno prazo de prateleira”.

Lidiane Camila Boza Morais, nutricionista da Prefeitura de Iacanga, juntamente com a secretária municipal da Educação, Gilda Maria de Oliveira dos Santos, acompanham as compras públicas para merenda escolar no município e aprovaram a iniciativa. “As compras públicas têm se mostrado uma ferramenta eficaz para valorizar os produtores e os alimentos locais, bem como impulsionar a economia. Do ponto de vista nutricional, a inclusão dos alimentos da agricultura familiar nas escolas melhorou a dieta dos alunos, ao mesmo tempo que ampliou a conscientização para adoção de uma alimentação mais saudável por parte de todos. Nos períodos normais, além das compras, levamos as merendeiras e as crianças em visitas às hortas, o que as aproximou do produtor, permitindo uma vivência nas áreas de produção”, ressaltou Lidiane.

Ticiano Antonio Ocon Chies é um dos produtores que participam das Chamadas Públicas da merenda escolar e entregou produtos para a formação das cestas. “Esta iniciativa foi muito boa, tanto para nós produtores quanto para as famílias das crianças. Eu produzo tomate, pimentão, pimenta-americana, berinjela, cheiro-verde, abobrinha e limão; nos últimos dias tive uma redução nos pedidos de quase 70%, aliado ao fato de a escolas estarem fechadas. Por isso estou torcendo para que as entregas continuem neste período tão difícil”.

Segundo o coordenador de Agricultura do município, estão previstas novas entregas enquanto durar o período de quarentena. “Desde o dia 27, abrimos o cadastro para todas as famílias de alunos matriculados na rede municipal e estamos programando uma nova entrega de kits para o próximo dia 30 de abril”, revelou Nathan Garbo.

Outros municípios

O diretor da CDRS Regional, Marco Beraldo, destaca que a ação de Iacanga está sendo divulgada para os outros municípios de sua área de atuação, a qual compreende 15 cidades, e alguns já estão adquirindo produtos da agricultura familiar para a entrega de kits. “É o caso de Agudos e Cabrália Paulista; e Arealva está iniciando o processo. Os municípios estão se conscientizando sobre a necessidade e importância desta ação, para apoiar os produtores rurais que estão atravessando uma situação delicada. Esta ação possibilita a comercialização de pelo menos parte da produção, principalmente de hortaliças e frutas, para que as perdas não sejam tão significativas, bem como para contribuir com a segurança alimentar das famílias beneficiadas”.