Besouro-escorpião: inseto venenoso é encontrado no interior de SP

O besouro-escorpião tem cerca de dois centímetros, antenas longas, corpo com detalhes em preto, bege, cinza e uma faixa marrom.

O besouro do tipo “Onychocerus albitarsis” foi encontrado pela primeira vez no interior de São Paulo, nas cidades de Botucatu e Boituva, de acordo com as informações da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Botucatu (SP).

Até então, o inseto, capaz de picar pelos ferrões que compõem as antenas, havia aparecido apenas no Peru.

“Foram apenas três casos da picada do inseto que foram registrados no mundo todo, sendo que um foi no Peru e dois deles aqui no estado de São Paulo, e mesmo após realizar uma pesquisa a respeito, há dificuldade para achar o besouro no ambiente natural porque não há informações sobre o comportamento dele”, afirma o zoólogo Antonio Lucas Sforcin Amaral, da Unesp de Botucatu.

A pesquisa, que discute a questão médica em relação aos casos, começou em março de 2018 e foi encerrada em novembro. Ela apontou que provavelmente a composição da toxina do besouro age de forma diferente em cada pessoa, variando de acordo com a sensibilidade.

O zoólogo afirma que o Onychocerus albitarsis está associado ao ambiente florestal, em fragmentos de vegetação, e é relativamente difícil de ser encontrado. Apesar de ser venenoso, a picada não oferece risco.